sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Prazo de Validade


É sempre a mesma história e ela se repete muitas vezes.
Conheço alguém - seja no amor ou na amizade - e esse alguém já veio de fabrica com 
uma data pré definida de sumiço!
Vou explicar melhor...
Eu sou rodeado de pessoas, muitas pessoas.
Umas porque me amam de verdade, outras porque querem o que eu tenho 
- coisa que eu estranho, afinal não tenho nada - e outros apenas para bisbilhotar!
Há quem goste do Junior, e há também que goste do Leandro, há quem odeie o Beckmann!
Acontece que todas essas pessoas vieram com data de fabricação e de validade!
Elas sempre se vão, sempre me deixam, sempre partem.
Aprendem, ensinam e se vão!
E o pior é que elas não vêem como rótulos de : melhor usar antes ou data de utilização.

Entenda que não estou comparando pessoas a produtos.
Estou apenas utilizando um termo que camufla o ir embora!...
Essa história é um tanto triste, porque querer permanecer 
deveria ser o suficiente para ficar. Mas não é assim...

Um dia temos, no outro acabou.
Hoje sabemos, amanhã tudo mudou.

Dizem por ai que atraímos a energia que temos.
Será então que atraímos também o abandono, a tristeza e seus parentes próximos?
Será que não temos chance de modificar a data final porque talvez 
o lote esteja todo danificado?
Quem danificou?
Quem etiquetou?
Quem decidiu o prazo?

É sempre a mesma história.
A ida e a vinda. O oi e o tchau.
O bom dia e o boa noite.
Mas precisa sempre ter o mesmo final?

Se a vigilância sanitária (ANVISA) e os fiscais da saúde viessem auditar a tua vida o que achariam?
O que descartaria por falta de etiqueta?
O que deixaria intacto?
O que interditaria?
Você está disposto a pagar a multa?

Não seria essa a oportunidade perfeita de se livrar de produtos vencidos?
De contas não pagas, de amores não resolvidos, de amizades supérfluas?
Não seria a hora de deixar o passado e as coisas que te prejudicam?

Não seria melhor gritar a raiva ou invés de trancá-la no peito?
Melhor chorar do que sentir a garganta doendo?
Não seria melhor agir com sinceridade enquanto ainda há tempo?
Iludir menos!, humilhar menos! 
Não seria melhor valorizar enquanto se tem?

Portanto não seria melhor aproveitar tudo como se fosse acabar amanhã?
Amar com verdade e intensidade.
Abraçar com vontade; beijar sem nojo.
O prazo de validade existe e vem para todos.
O café sempre esfria e bebê-lo gelado já não tem mais graça.

É sempre a mesma história...
Mas a minha acaba aqui!
Porque o prazo de validade venceu! 

Lembre-se: o coração não acumula bônus, ele apenas para de bater!...


Hasta!,
Junior Beckmann

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...